quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Balada da neve :: Decor em tons de branco


Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho…

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria…
Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho…

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança…

E descalcinhos, doridos…
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!…

Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!…
Porque padecem assim?!…

E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
e cai no meu coração.




A minha mãe recitava tantas vezes este poema de cor...cada vez que o ouço ou leio, sinto um arrepio de comoção. Este poema tem mesmo a capacidade, de mexer comigo.
É absolutamente lindo e intemporal...

Assim como os ambientes abaixo. O branco nunca passa de moda.
E se acharem que o branco é um pouco frio, podem sempre "cortá-lo" com alguns objectos decorativos noutros tons.
Por ser uma cor neutra, o branco permite todo o tipo de brincadeiras com as outras cores.
Beijo e boa 5ª feira a todos!






Fotos Pinterest
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...